À Conversa com Manuel Bata

Autor da exposição Os Sentimentos das Mãos

13 Nov 18h00
À Conversa com Manuel Bata

Encontro para mergulhar na inspiração, produção e entrega deste trabalho que revitaliza o tão consagrado nome de Manuel F. Bata no panorama das artes nacionais e internacionais.

BIOGRAFIA

Bata, é o nome artístico de Manuel Fernandes Bata, nascido em Maputo a 10 de Outubro de 1958.

Já foi pedreiro e agricultor até que na década de 80, começou por influência de amigos a esculpir objectos na base da madeira e do ferro, usando instrumentos alternativos, até sair da praça 25 de Junho, na baixa da cidade de Maputo, para ser parte da primeira exposição da sua carreira.
Fez parte do braço artístico que moldou a revolução pós-independência que Moçambique estava a viver. Pela originalidade do seu traço e forte personalidade das suas obras, Bata deixou de produzir apenas para as feiras da praça 25 de Junho e passou a esculpir para exposições individuais e colectivas e desde lá, seu nome fez ouvir no cenário das artes moçambicanas e além-fronteiras.
Desde os anos 90, dá aulas de escultura e cerâmica, tendo no início instruído pelo menos 20 jovens aspirantes a artistas do bairro de Albazine e cidade da Matola. Actualmente, acolhe uma turma de 10 artistas em seu atelier em Marracuene, para aulas de escultura com ferro e madeira e é membro fundador da Associação dos Artesãos do Mumemo.

Ao longo da sua carreira foi, em reconhecimento da pela relevância da sua obra, recebeu prémios como:

-         1º Prémio da IIIª Exposição do Banco do Fomento e Exterior (1991)
-         Prémio de Melhor Exposição Colectiva Anual do Museu Nacional de Arte (1991)
-         2º Prémio Escultura da Bienal TDM’93 em Maputo (1993)
-         1º Prémio Petromoc do Concurso Nacional de Artes Plásticas (1995)
-         1º Prémio da Bienal TDM (1995)
-         1º Prémio FUNDAC - Fundação Alberto Chissano- de Escultura (2001)
-         2º Prémio Escultura, Cerâmica, Instalação e Objeto do II Concurso de Belas Artes do Banco de Moçambique (2013)
-         1º Prémio de Escultura na Bienal de Artes da TDM (2014).

Bata é inspirado pelas artes ancestrais e seus significados e busca ensinar, tal como lhe foi ensinado, a fazer arte com poucos recursos.

Exposições Colectivas

  • 1991, Museu Nacional de Arte em Maputo.
  • Novembro de 2013, Centro Cultural Franco Moçambicano – Telas e Metais com Gonçalo Mabunda.

Exposições Individuais

  • 1993, AFRITIQUE em Maputo – A Arte do Bata.
  • Novembro 2016, Estação Ferroviária de Maputo – Metais e Conceito.

Novembro de 2018, Fundação Fernando Leite Couto – Os Sentimentos das mãos